Facebook Google+ Youtube LinkedIn Mobile

Património de Arruda dos Vinhos 


O concelho de Arruda dos Vinhos encontra-se num vale fértil que permitiu o seu desenvolvimento e consequentemente na evolução da população, ao longos dos séculos. Atualmente, é possível visitar este concelho sentindo a magia e mistério, enquanto se deambula pelas ruelas da Idade Média portuguesa, que apresentam um misticismo religioso e lutador contra as invasões Napoleónicas. Relativamente ao património religioso, destacam-se:

Na freguesia de Arruda dos Vinhos
  • Igreja Matriz de Arruda dos Vinhos também conhecida como Igreja de Nossa Senhora da Salvação, esta fora reconstruida no século XVI, à ordem de D. Manuel I, em Ação de Graças, durante numa estada em Arruda, a Família Real fora salva de um surto de peste, que assolaria o reino. Com um estilo de Manuelino unindo-se ao Barroco, esta igreja situa-se no centro antigo da vila e a 15 de agosto, realiza-se uma procissão a honra da Padroeira.
  • Hospital e Igreja da Misericórdia construído 1574, num estilo Barroco e Rococó. Esta situa-se no Largo José Vaz Monteiro.
  • Capela de São Lázaro é propriedade da Santa Casa da Misericórdia, este edifício setecentista está localizado na Avenida Afonso Henriques.
  • Ermida de Nossa Senhora do Monte é dedicada à Nossa Senhora do Monte Carmelo, estando localizada no centro do vale de Arruda. Na quinta-feira de Ascensão – feriado Municipal, realiza-se a esta uma romaria.

Na freguesia de Arranhó
  • Igreja de São Lourenço situando-se na sede da freguesia de Arranhó, foi construída no início do século XVI, tendo como orago São Lourenço, cujas celebrações decorrem em Agosto.
  • Santuário de Nossa Senhora da Ajuda procurado por milhares de fiéis durante as suas festividades em Setembro.

Na freguesia de São Tiago
  • Igreja de São Tiago dos Velhos relacionada com as peregrinações a Santiago de Compostela, esta igreja de origem medieval, tem no seu adro uma estela romana com a inscrição latina de Amoena Maelgeini, indicando que naquele espaço jaze uma menina. A 25 de julho, realiza-se uma procissão em honra do Apóstolo São Tiago Maior, passando por esta igreja.
  • Capela da Carvalha foi construída em dedicação a Nossa Senhora de Santa Ana, celebrando uma festa em honra da sua padroeira em Agosto. 

Na freguesia de Cardosas
  • Igreja de São Miguel Arcanjo dedicada ao Santo Padroeiro da Freguesia de Cardosas, cuja celebração em sua honra decorrem em Setembro. No seu adro é possível encontra um cruzeiro de pedra com a data de 1724.

A Rota Histórica das Linhas de Torres, também passa pela Vila de Arruda. A 1ª Linha de Defesa de Lisboa ocupava toda Península de Torres Vedras, porém a força francesa não atingia dois terços desta extensão, permanecendo entre Vila Franca de Xira e a passagem de Runa. A força luso-britânica encontrava-se recolhido nessas Linhas, à exceção da Divisão Ligeira e da Brigada de Pock, que ao entrarem por Arruda, foram surpreendidos pelas tropas Montbrun, aquando a demora na vila de Alenquer. Estes abandonaram as bagagens e feridos, dirigindo-se para Sobral de Monte Agraço, permanecendo de noite 11 de outubro para 12, organizando e realizando uma marcha de flanco, junto às Linhas, para conquistar Arruda dos Vinhos, que ficara totalmente desprotegida. Durante quatro semanas, esta esteve ocupada pela cavalaria do Corpo do Exército de Ney, que saquearam a vila, destruíram arquivos, profanaram igrejas, roubaram alfaias – este ficou conhecido como o roubo do trono de prata da Padroeira, Senhora da Salvação. Apenas no dia 15 de novembro de 1810, a atmofera clareou, e o General Wellington observou que as tropas francesas tinham abandonado as suas posições, e fez assim a sua justiça.
De modo a contar a história das Linhas de Defesa de Lisboa, Arruda apresenta o seguinte património:

  • Centro de Interpretação das Linhas de Torres desenvolvido pelo Município de Arruda dos Vinhos, este visa apresentar as Linhas de Torres, das quais, Arruda possui dois fortes que constituíram a primeira linha de defesa. Os Fortes das Linhas de Torres sendo composto pelo Forte do Cego e pelo Forte da Carvalha. Estes elementos são os mais representativos e determinantes nas estruturas defensivas militares, aquando as invasões Napoleónica.
  • Também conhecido por Forte de S. Sebastião, o Forte do Cego adquiriu o seu nome devido à sua localização no Casal do Cego. Este apresenta a forma de “Pata de Dragão”. Juntamente com o Forte de Carvalha protegiam o vale de Arruda.
  • Forte da Carvalha encontra-se junto à aldeia de Carvalha, com o formato de estrela, protegia o vale de Arruda, possibilitando fogo cruzado com a força invasora, em conjunto com o Forte do Cego.

Outros pontos de interesse histórico-cultural
  • Chafariz de espaldar com três bicas foi construído em 1789 com o objetivo de fornecer água à população do centro da vila.
  • Centro Cultural do Morgado/Oficina do Artesão é um complexo cultural localizado no coração de Arruda dos Vinhos. Este alberga a Biblioteca Municipal Irene Lisboa, o Auditório Municipal, a Galeria Municipal, o Posto de Turismo, o Centro de Interpretação das Linhas de Torres, a Oficina do Artesão, o restaurante “O Morgado” e o Jardim do Morgado. Um projeto do Arquiteto Mateus Vicente de Oliveira.
  • Antigo Edifício dos Paços do Concelho também conhecido por Antiga Casa da Câmara e Cadeia, acompanha a Torre Sineira oitocentista, encontra-se junta à Igreja Matriz, localizadas no centro da antiga vila.
  • Memorial aos Combatentes da Grande Guerra este monumento foi construído em memória dos combatentes que participaram e pereceram na Grande Guerra, que eram oriundos do Concelho de Arruda.
  • Aqueduto em arcadas conduzia a água até ao Chafariz, de modo abastecer a vila de Arruda.
  • Moinho do Custódio possibilita a vista sobre a vila de Arranhó, sendo mesmo considerado como um miradouro.
  • Sítio Arqueológico do Castelo remonta a duas épocas de ocupação e invasão, na Idade do Cobre e do Ferro, constituindo como um dos vestígios mais antigos da ocupação humana no Concelho de Arruda dos Vinhos.
  • Moinhos de Vento são elementos característicos e determinantes da ruralidade do Concelho de Arruda.
  • Miradouro de Cardosas possibilita obter uma visão panorâmica sobre o vale de Arruda, Cova do Gigante, e em dias de céu limpo, permite observar o Montejunto.
  • Museus Irene Lisboa situado em Arranhó, acolhe a exposição “Irene Lisboa, O Pouco e o Muito” que pretende realçar a vida da escritora. Este é o primeiro projeto cultural que o Município promoveu, na área da museologia.
  • Praça de Touros José Marques Simões esta praça transmite as tradições tauromáquicas do povo Arrudense e a sua ligação à festa brava. Esta está localizada no topo do Jardim Municipal.
  • Escola Conde Ferreira atual sede da Junta de Freguesia de Arruda dos Vinhos, estando situada na zona antiga de Arruda.
  • Miradouro da Giesteira este encontra-se em Giesteira, aproximadamente a um quilómetro da vila de Arruda, a sua vista recaí sobre todo o vale de Arruda
  • Academia de Dressage Portugal é um projeto de Daniel Pinto, concretizado por Sylvain Massa, este tem como objetivo a promoção e desenvolvimento a Dressage/ adestramento e outras modalidades equestres, por forma a reuni-las num lugar apenas, na Academia Dressage Portugal, na Quinta da Pataca.
  • Adega Cooperativa de Arruda dos Vinhos com uma produção e comercialização de vinhos com mais de 50 anos, em que os vinhos são considerados os melhores da região e do país, esta adega juntou-se ao percurso da Rota do Vinho da Região Oeste.
    Partilhar no Facebook